Têxtil com evolução de vendas muito positiva

O setor têxtil nacional revela uma elevada capacidade de resistência e adaptação, a par de uma forte orientação exportadora. Estes fatores têm conduzido a uma evolução muito positiva das vendas, de acordo com o estudo da Crédito y Caución. Estes têm sido os pontos fortes de um setor que representa 8% do volume de negócios e 20% do emprego na indústria manufatureira portuguesa.

No entanto, a concorrência é forte e o têxtil nacional continua mais focado no produto do que no serviço. Os mercados de exportação concentram-se na União Europeia, com Espanha a representar 35% das exportações.

O tecido empresarial do setor têxtil português é composto, na sua maioria, por pequenas e médias empresas, muitas delas familiares, com um forte envolvimento e grande conhecimento do negócio. A flexibilidade e agilidade de resposta destas empresas, que se apoiam numa boa base logística, são pontos favoráveis para uma maior internacionalização. Contudo, e apesar da modernização iniciada há alguns anos, o setor precisa de investimentos e de maior modernização, com a banca numa posição neutra quando à disponibilidade de empréstimos às empresas. O incumprimento e os atrasos de pagamento no têxtil nacional estão alinhados com a média nacional, o que faz com que risco de crédito do setor seja neutro.

Consulte o perfil da indústria têxtil e de vestuário em Portugal.